segunda-feira, 21 de junho de 2010

Religião

O Saco de carvão

Um menino vivia dizendo a respeito de um colega: "desejo tudo de ruim para ele. Quero matar esse cara! Eu o odeio! É um falso, um cínico, dissimulado, traíra". Seu pai, um homem simples, mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos e ainda por cima colocou eles contra mim! Não aceito isso!- Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou calado.Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo.- Filho, faça de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amigo Juca, e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.O menino achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mão a obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo.Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe se aproxima do menino e lhe pergunta:- Filho, como está se sentindo agora?- Estou cansado, mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e lhe fala com carinho:- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisaO filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos.O pai, então, lhe diz ternamente:- Filho, você viu que a camisa quase não sujou; mas, olhe só para você! O mal que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por isso, antes que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, saibamos que a mágoa e o rancor e outros sentimentos ruins ficam sempre em nós mesmos.

Texto extraído do Jornal Missão Jovem - agosto 2006.

14 comentários:

Biazinha Bia disse...

Acho que o pai tem toda razão, e ainda por cima é extremamente inteligente por conseguir fazer o filho aprender uma lição importante assim usando um saco de carvão.

kauana disse...

achei muito interessante e ótimo para uma aula de ensino religioso,refleti bastante com esse texto:

gabriela disse...

professora cleo adorei o seu texto você é genial para escrever isto tão linbdo!!
adorei ler isto eu senti uma coisa tão boa quando li esse texto!!!

gaby disse...

eu achei muito interesante pois ele fala que nunca faça para o proximo o que quer que faça com voce.

Jamilly disse...

Entendi que não devemos pensar coisas ruins das pessoas que não gostamos por que tudo o que falamos e pensamos dos outros tudo volta para nós de outro modo e as vezes pior
de:JAMILLY BETAT COSTA BEBER
TURMA: 52

leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
diego disse...

DIEGO
ACHO QUE O PAI QUIS MOSTRAR AO FILHO QUE NÃO DEVIA TER RANCOR DOS OUTROS

leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
leonardo disse...

ele so fala a verdade por que as vezes agente tenta atingir o outro sem saber mas no final acabamos atingindo a nós mensmo

leila disse...

O pai queria ensinar ao filho que nao se deve ter rancor dos outros e entao ele inventou uma brincadeira.Eu achei muito boa essa história,bem interessante!!!

diego disse...

ACHO QUE O PAI QUIS MOSTRAR AO FILHO QUE NÃO DEVIA TER RANCOR DOS OUTROS

larissaetiago_777 disse...

Professora adorei o texto, pois o pai que ensinar o filho. Mas o filho quarda muito rancor do amigo mais o pai que esnsinalo a nao ter.
Muitas vezes a gente fala muita coisa para as pessoas na raiva mais depois vem o arrependimento.
A gente pensa que as vezes dizendo que vamos bater ou machucar a pessoa. vamos ganhar a amizade de todos pois todos vao ficar com medo é sempre isso que acaba acontecendo.

larissaetiago_777 disse...

Muitas vezes a gente troca o certo pelo duvidovo e é isso que esse menino quer fazer .
O outro menino deboxou dele e ele acabou se irritando




Larissa