domingo, 14 de dezembro de 2014

Receita de lasanha vegetariana

Lasanha vegetariana

Ingredientes

1 brócolis
200 gramas de queijo
Massa caseira feita com 4 ovos
Molho de tomate com cebola, alho, pimentão e tempero verde
200 gramas de proteína de soja
 














 Massa caseira feita com 4 ovos coloniais


   Queijo mussarela picado

  Molho com tomate, cebola, pimentão, tempero verde
  Proteína de soja para acrescentar ao molho também

Lasanha pronta para ir ao forno, coloquei também manjericão

  Pronta para ser saboreada e acompanhada por uma bela salada de maionese.


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Geografia - 7º ano

Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Carvalho Portella Provão de Geografia - 7º ano 1 - Cite as regiões brasileiras 2 - Cite os estados brasileiros e suas respectivas capitais 3 - O que é antropologia? Estudo do homem 4 - O que é genocídio? Extermínio de grupo humano 5 - O que é mio ambiente? Conjunto de condições (solo, clima, vegetação e o ser humano que interagem e relacionam entre si. 6 - Diferencie espaço natural de espaço geográfico O espaço natural é o não modificado pelo homem e o geográfico é o artificial, ou seja, o modificado pelo homem 7 - O que é massapê? Solo próprio para produção da cana de açúcar. 8 - Qual a área da América Andina? 5,3 milhões de km2 9 - Qual a população da América Andina? 143 milhões de habitantes 10 - Quais os países que formam a América Andina? Bolívia, Chile, Colômbia, Equador,Peru e Venezuela 12 - Por que a América Andina é assim chamada? Pela forte presença da Cordilheira dos Andes 13 - A cordilheira dos Andes é um divisor de águas 14 - A América andina tem rios de curta extensão que desaguam no Atlântico 15 - A água potável é um problema na América Andina, por que? Sim, porque o potencial dos rios não é aproveitado plenamente 16 - Cite as formações vegetais da América Andina Florestas, estepes, desertos e vegetação de altitude 17 - Porque a América Andina e considerada uma região instável? Por possuir atividade sísmica intensa e vulcões ativos e sofrer muito com terremotos 19 - Quais são atividades econômicas da América Andina? Petróleo, carvão, cobre, estanho, ouro, prata e ferro 20 - Quais os principais produtos agrícolas produzidos? Café, banana, cacau, cana de açúcar, trigo, cevada, aveia, batata e milho 21 - Fale sobre a produção de coca na região É fonte de renda para muitos e serve de subsistência de muitas famílias 22 - Qual é o deserto do Chile Atacama 23 -Cite os países com suas capitais da América Platina? Argentina, Paraguai e Uruguai Buenos Aires, Assunção, Montevidéo 24 - O relevo é caracterizado por planaltos e planícies 25 - Cite dois rios importantes da América Platina Paraguai, Paraná, Uruguai

Geografia

Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Carvalho Portella Provão de Geografia - 8º ano Responda 1 - O que é capitalismo? Sistema em que os meios de produção pertencem a uma propriedade privada , no qual um único sistema define a maioria 2 - Qual o principal intuito do capitalismo? Acumular capital a partir do lucro 3 - Para onde está voltada a base do socialismo? Para a socialização dos meios de produção, isto é, o bem comum presente na vida de todos e extinção da sociedade dividida em classes. Complete 4 - O controle do mercado no capitalismo é realizado pela livre competição e concorrência, enquanto no sistema socialista, há o monopólio por parte do estado 5 - Fale sobre o capitalismo industrial Foram introduzidas inovações na forma de produzir mercadorias. 6 - O que é o capitalismo financeiro? É a fase atual, caracterizada pela pela integração entre capital industrial e capital bancário. 7 - Cite cinco características do capitalismo Os meios de produção pertencem a uma pessoa ou um grupo de pessoas Economia de mercado Lei da oferta e da procura Concorrência Trabalho assalariado Complete 8 - O capitalismo e o socialismo são dois tipos de diferentes de sistema político-econômico 9 - Antes da queda da União Soviética , havia o mundo bipolar 10 - A União Soviética representava a ideologia do socialismo 11 - Os Estados Unidos representava o capitalismo 12 -No socialismo o controle é realizado pelo estado 13 - Tundra e floresta boreal são vegetações da Europa? Sim Cite a capital 14 - Armênia - Erevan 15 - Espanha - Madrid 16 - Finlândia - Helsinque 17 - Grécia - Atenas 18 - França - Paris 19 - Malta - Valetta 20 - Itália - Roma 21 - A Islândia é uma ilha? Sim 22 - Qual o idioma mais falado na Itália? Italiano 23 - Qual a moeda da Itália? Euro 24 - Liechtenstein é um país minúsculo? Sim, o menor do mundo 25 - Qual a capital da Noruega? Oslo 26 - Qual a capital de Portugal? Lisboa 27 - Qual a moeda de Portugal? Euro 28 - Qual a capital da Rússia? Moscou 29 - Qual a capital da Suíça? Berna 30 - Qual o fuso horário da Turquia? Ancara 31 - Qual a área da África ? 30.210.372 km2 32 - Quais os paralelos que cortam a África? Trópico de Câncer e Capricórnio 33 - Cite os limites da África N - Mar Mediterrâneo S - Oceano Atlântico e Indico L - Índico e Mar Vermelho O - Atlântico 34 - Cite o canal construído entre 1859 e 1869 Suez 35 - Qual o estreito que possui 12 km de largura por 51 de comprimento? Gibraltar 36 - Cite duas cadeias montanhosas da África Atlas e Cabo 37 - Cite dois desertos da África Saara e Kalahari 38 - Quais os tipos de clima da África Tropical e equatorial 39 - Cite os países com certo grau de desenvolvimento industrial África do Sul e Egito 40 - Cite os tipos de vegetação da África Equatorial, Savana, Estepe, Desértica, Mediterrânea e de altitude 41 - O que é magreb? Lugar onde o sol se põe 42 - O que é amplitude térmica? Diferença entre a maior e a menor temperatura no decorrer de um dia 43 - Sudão e Egito são cortados per qual rio? Rio Nilo 44 - Qual a capital do Egito Cairo 45 - De acordo com o critério étnico ou cultural, a África é dividida em África branca ou setentrional e África Negra ou subsaariana 46 - Cite a capital de Madagascar Antananarivo 47 - Capital de Marrocos Rabbat 48 - Capital de Angola Luanda 49 - Citar o nome de um rio muito importante da África Rio Nilo 50 - Cite cinco riquezas minerais da África do Sul manganês, prata, cobre, platina, titânio, antimônio, cromo, diamante, minério de ferro, lítio, chumbo, volfrânio, sal-gema, estanho, vanádio, carvão mineral, ouro..

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Geografia

Geografia Cite a capital 1 - Índia 2 - China 3 - Iraque 4 - Turquia 5 - Cazaquistão 6 - Irã 7 - Síria 8 - Afeganistão 9 - Coréia do Sul 10 - Japão Complete 11 - A ............ é o maior dos continentes 12 - A área da Ásia é de .... milhões de km2 13 - Fisicamente a Ásia e a Europa formam um só bloco continental, a .................. 14 - A maior parte do continente asiático localiza-se no hemisfério..................... 15 - Uma parte do continente encontra-se no hemisfério................, justamente onde está o Estrito de................que separa a ...............da ..................... 16 - O clima da Ásia é bastante ..............................., como também suas ....................... naturais. Marque V ou F 17 - ( ) A disposição do relevo dificulta a movimentação das massas de ar frias do norte para o sul. 18 - ( ) Algumas regiões interiores da Ásia apresentam escassez de chuvas. 19 - ( ) As massas de ar são barradas pelas altas montanhas como o Himalaia 20 - ( ) A falta de chuvas não favorece a formação de desertos. 21 - ( ) Gobi é um deserto da América 22 - ( ) A Ásia, na porção norte não tem inverno rigoroso 23 - ( ) O clima na região norte da Ásia não é classificado como polar e frio 24 - ( ) As massas de ar quentes e secas provenientes da África atingem o sudoeste da Ásia e o 25 - ( ) Nos desertos da Arábia e do irão o clima é desértico e semiárido com escassez de umidade 26 - ( ) Nas altas montanhas ocorre o clima fio de alta montanha 27 - ( ) Aborígenes são povos australianos. 28 - ( ) A Austrália começou a ser colonizadas por colonias de presidiários 29 - ( ) A Austrália está rodeada pelos oceanos Pacífico e Índico 30 - ( ) Encontramos um grande deserto australiano no centro do país. 31 - ( ) O canguru não é o animal símbolo da Austrália. 32 - ( ) Os climas da Austrália são: árido, subtropical, tropical e mediterrâneo 33 - ( ) Murray é um rio da Austrália

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Previsão do tempo

A previsão é feita a partir da análise de dados captados em todo o mundo por uma rede internacional. Até o fim da Segunda Guerra Mundial, as informações meteorológicas tinham fins militares. Com a criação da Organização das Nações Unidas, os países começaram a trabalhar em conjunto e surgiu a Organização Meteorológica Mundial (OMM) em 1950. Ela estabelece o estado inicial global, que mostra as condições de tempo em todo o planeta a partir de dados obtidos pelos países membros em um mesmo horário.
Mesmo com tantos dados e poderosos computadores, muito da previsão vem da leitura que os meteorologistas fazem dessas informações - é por isso que as previsões para um mesmo local em um mesmo dia podem variar. Outro problema é que há áreas do globo sobre as quais há menos informações, o que deixa a previsão menos certeira. :)
FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL
Medição de dados na terra, no céu e no mar abastece central meteorológica mundial
SOB MEDIDA
A coleta de informações começa em terra, na estação meteorológica. Em todo o mundo, há 11 mil delas, com equipamentos que medem dados próximos da superfície, do nível do solo até cerca de 10 metros de altura. Em geral, esses instrumentos são alimentados por painéis de energia solar.
CHECK-IN
As estações meteorológicas não cobrem todo o globo. Por isso, elas têm a ajuda de miniestações espalhadas em lugares como os aeroportos, que medem ventos, pressão atmosférica, chuva e umidade do ar, por exemplo. Além de usar os dados para garantir a segurança dos vôos, os aeroportos também os enviam à OMM
VISÃO AÉREA
Cerca de 3 mil aviões comerciais conveniados à OMM voam por uma área que as estações não cobrem: as grandes altitudes. Os aviões viajam a cerca de 11 mil metros de altura, onde as condições de tempo são muito diferentes das da superfície. Por isso, esses dados são valiosos. Mas, como as aeronaves não cruzam todo o globo, sobra uma área grande sobre a qual não há dados
BÓIA FRIA
Estações meteorológicas cobrem a parte terrestre do globo, mas fica faltando a maior área do planeta: as regiões oceânicas. A captação de dados de superfície por ali fica por conta de bóias meteorológicas e de navios mercantes, militares e de passageiros. Os 7 mil navios transmitem dados como chuva e ventos, assim como as cerca de 900 bóias
BALÃO MÁGICO
Acima dos aviões, há balões meteorológicos que chegam a 30 mil metros de altitude. Inflados com gás hélio, eles carregam radiossondas, um conjunto de instrumentos que mede pressão atmosférica, temperatura e umidade relativa do ar. Monitorando a posição do balão, é possível checar também o vento
VIA SATÉLITE
As imagens de satélite mostram o que nenhum aparelho mede: a movimentação das nuvens, o que ajuda a entender a dinâmica de chuvas e temperaturas. As fotografias são tiradas por seis satélites geoestacionários e cinco de órbita polar. Além da temperatura, as imagens mostram vapor d'água e umidade
GUICHÊ DE INFORMAÇÕES
Com tantas informações vindas de fontes tão diferentes, alguém precisa organizar a bagunça. Quem faz isso é a OMM, que processa os dados vindos de 182 países e 6 territórios. Há três centrais principais - em Melbourne (Austrália), Washington (EUA) e Moscou (Rússia) - e mais outras 15 que processam as informações enviadas por todos os membros pelo menos a cada três horas e distribuem os dados para que cada país possa fazer suas previsões
NA TELA DA TV
Algumas empresas de meteorologia fazem boletins meteorológicos para meios de comunicação. Existem canais de TV especializados no assunto e emissoras que têm meteorologistas próprios. Mas a maioria dos canais prefere colocar uma bela moça do tempo para falar se vai chover ou não
TRADUTOR INSTANTÂNEO
A OMM disponibiliza dados na forma de gráficos, tabelas e mapas incompreensíveis para leigos. É aí que entram os meteorologistas: eles jogam os números do dia atual e de dias anteriores em softwares que calculam como será o clima futuro e acrescentam sua análise pessoal para ler dados não numéricos, como as fotos de satélite

Semáforo

Quem inventou o semáforo?

A palavra em si foi criada na Grécia antiga - com a junção dos termos sema (sinal) e phoros (que leva) - para dar nome a uma sistema utilizado para transmitir mensagens por tabuletas. Demorou mais de um milênio para surgir o semáforo como o conhecemos: um dispositivo para controle de tráfego. Foi nas esquinas movimentadas de Londres, em 1868, que se instituíram lanternas verdes e vermelhas para organizar o fluxo de carruagens e pedestres. A utilização dos mesmos sinais com luzes elétricas, por sua vez, teve início em 1914 na cidade de Cleveland, Estados Unidos. As luzes eram controladas por guardas que se revezavam no local. Em 1917, a luz amarela foi acrescentada aos sinais de trânsito de Detroit, no mesmo país - e o sinaleiro automático, que dispensava a operação manual, surgiu na década seguinte. Já o primeiro registro da utilização de luz vermelha para sinalização data de 1806, em um farol na costa britânica.
Pouco depois, os navios começaram a usá-la e, em seguida, foi a vez das ferrovias. A cor foi escolhida por um motivo prático: ao realizar testes de transparência com vidros coloridos, o engenheiro Robert Stevenson, responsável pela construção do tal farol, descobriu que o vermelho era o que deixava passar mais luz.

História

Quantas bandeiras o Brasil já teve?

Até 1645, o Brasil utilizou os mesmos estandartes de Portugal. Depois, passou a ter seus próprios. E foram muitos: em 502 anos, o país já ostentou dez bandeiras. "Essas trocas sempre refletem mudanças políticas que ocorrem em uma nação", afirma a historiadora Célia Reis Camargo, da Universidade Estadual Paulista (Unesp). A frase é facilmente comprovada acompanhando a introdução de cada bandeira. A primeira foi a do império português. Em 1821, houve a queda do Absolutismo e a transformação em monarquia constitucional. Um ano depois, o Brasil se tornava independente, ganhando o pavilhão imperial,0 que permaneceu hasteado até a proclamação da República, em 1889. No dia 19 de novembro, surgiu a bandeira nacional usada até hoje. As estrelas, posicionadas conforme eram vistas no céu do Rio de Janeiro em 15 de novembro, representavam os 20 Estados e o município neutro (transformado depois em Distrito Federal). À medida que novos Estados eram criados, mais estrelas eram adicionadas - hoje são 27.
Um pavilhão para cada ocasiãoA história do Brasil é pontuada por uma dezena de bandeiras
1500
1
A bandeira portuguesa da época do descobrimento trazia a Cruz da Ordem Militar de Cristo com o escudo real
1521
2
 
O estandarte de D. João III eliminou a cruz, apresentando como novidade uma coroa real sobre o antigo escudo
1616
3
 
O emblema adotado durante a ocupação espanhola foi criado para Portugal e suas colônias durante a União Ibérica
1640
4
 
A Bandeira da Restauração foi introduzida quando Portugal recuperou sua independência
1645
5
 
A bandeira do Principado do Brasil ostentava uma esfera armilar, instrumento usado na navegação
1816
6
A Bandeira do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve nos deu status de reino depois da vinda da família real lusa para cá, em 1808
1821
7
 
A Bandeira do Regime Constitucional foi adotada quando Dom João VI retornou a Portugal como rei constitucional
1822
8
 
A Bandeira Imperial, adotada com nossa independência, introduziu as cores verde e amarela e uma estrela para cada província
1889
9
 
A Bandeira da República Provisória, uma cópia do estandarte americano, tremulou por apenas quatro dias - de 15 a 19 de novembro
1889
10
 
A bandeira republicana, usada até hoje, tem os Estados brasileiros e o Distrito Federal representados por estrelas

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Olga - resumo

Olga Benário nasceu em uma família judia em Munique na Alemanha no dia 12 de fevereiro de 1908. Seu pai Leo Benário era um advogado social democrata e sua mãe Eugénie era uma dama da alta sociedade que não apoiava as idéias revolucionárias da filha. Em 1923, aos 15 anos, Olga entrou para o partido comunista. Em 1926 foi presa por traição e libertada poucas semanas depois. Em 1928 liderou uma missão no Tribunal de Justiça para libertar seu companheiro Otto Braun, comunista e revolucionário que havia sido sentenciado à prisão de Berlin-Moabit. Em 1934 Olga foi designada para uma missão cujo objetivo era levar em segurança ao Brasil o líder comunista Luís Carlos Prestes. Ambos deveriam se passar por marido e mulher para ajudar no disfarce. Durante a viagem Olga e Prestes se apaixonaram. Devido a influência comunista de Prestes, e da popularidade proveniente da Coluna Prestes, Getúlio Vargas, durante o governo provisório, desenvolveu uma lei de segurança que permitia prender todos aqueles que se opusessem ao governo. Prestes liderou a Aliança Nacional Libertadora acreditando que, tal como a Coluna Prestes, militares, tenentes e comunistas o apoiariam em uma frente política revolucionária comunista, de caráter antifascista e anti-imperialista. O movimento de Prestes se colocava em oposição ao integralismo e a filosofia fascista do governo Vargas, e pretendia a revolução com o apoio da URSS. Este movimento ficou conhecido como Intentona Comunista. Com o fracasso da revolução, Olga e Prestes foram presos e separados. Grávida de Prestes, Olga travou uma batalha contra o governo para ter sua filha no Brasil e não ser deportada para Alemanha nazista, devido ao fato de ser judia. Como uma vingança pessoal de Vargas e Filinto Müller contra Prestes, Olga foi deportada para a Alemanha. Na madrugada de 27 de novembro de 1936, nasceu Anita Leocádia, a filha de Olga e Prestes. Leocádia, mãe de Prestes, fazia uma grande campanha na Europa pela liberdade de Prestes, Olga e Anita. Devido a esta campanha em favor dos direitos humanos, Olga pode ficar com a filha até não poder mais amamentá-la. Quando Anita completou 14 meses foi retirada de Olga, e a avó obteve a guarda da neta. Porém, Olga inicialmente acreditava que Anita poderia ter sido levada pelos nazistas, e só ficou sabendo tempos depois que Anita estava a salvo. Em 1938 Olga foi levada para o campo de concentração de Lichtenburg, e em 1939 para Ravensbrück, o único campo feminino. Em fevereiro de 1942, Olga foi executada na câmara de gás com mais de 200 prisioneiros no campo de Bernburg.

Fonte: Internet

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Mensagem - Árvore dos amigos

      Saia de casa só pelo gosto de caminhar. Sorria para todos. Faça um álbum de família. Conte estrelas. Telefone para seus amigos. Diga "gosto muito de você." converse com Deus. Volte a ser criança. Pule corda. Apague de vez a palavra "rancor". Diga "sim". Dê uma boa risada! Leia um livro. Peça ajuda. Corra. Cumpra uma promessa. Cante uma canção. Lembre o aniversário de seus amigos. Ajuda alguém doente. Pule para se divertir. Mudo o penteado. Seja disponível para escutar. Deixe seu pensamento viajar. Retribua um favor. Termine aquele projeto. Quebre uma rotina. Tome um banho de espuma. Escreva uma lista de coisas que lhe dão prazer. Faça uma gentileza. Escute os grilos. Agradeça a Deus pelo sol. Aceite um elogio. Perdoe-se. Deixe que alguém cuide de você. Demonstre que está feliz. Faça alguma coisa que sempre desejou. Toque a ponta dos pés. Olhe com atenção uma flor. Só por hoje evite dizer "não posso". Cante no chuveiro. Viva intensamente cada minuto de vida. Inicie uma tradição familiar. Faça um piquenique no quintal. Não se preocupe. Valorize as pequenas coisas. Ajude um vizinho idoso. Afague uma criança. Reveja fotos antigas. Escute um amigo. Feche os olhos e imagine as ondas do mar. Brinque com seu mascote. Permita-se brilhar. Dê uma palmadinha nas suas próprias costas. Torça pelo seu time. Pinte um quadro. Cumprimento um novo vizinho. Compre um presente para você mesmo. Mude alguma coisa. Delegue tarefas. Diga "bem vindo" a quem chegou. Permita que alguém o ajude. A-gra-de-ça" Saiba que não está só. Decida-se a viver com "paixão", sem ela, nada de grande se consegue. Conserve esta árvore diante de si os 365 dias do ano"

terça-feira, 5 de novembro de 2013

A borboleta azul

A Borboleta azul

Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes. As meninas sempre faziam muitas perguntas. Algumas ele sabia responder, outras não. Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina. O sávio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar. Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder. Então, uma delas apareceu com um linda borboleta azul que usaria para pregar uma pela no sábio.
- O que você vai fazer? perguntou a irmã?
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou não.
- Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar. Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la. E assim qualquer resposta que o sávio nos der estará errada!
As duas meninas foram, então ao encontro do sávio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sávio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sávio sorriu e respondeu:
- Depende de você. Ela está em suas mãos.
Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro. Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado. Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não conquistamos). Nossa vida está em nossas mãos, como a borboleta. Cabe a nós escolher o que fazer com ela.
 

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Acontecimentos no século XX

Veja alguns dos acontecimentos do século XX


 http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9culo_XX

e tem mais a seguir


-revolução industrial
-exploração da China e Indochina pelas potências europeias (neocolonialismo)
-guerra do ópio na China
-exploração da África pelas potências europeias - (neocolonialismo)
-Guerra franco-prussiana, com a França perdendo a Alsacia-Lorena.
-Unificação da Itália e da Alemanha, que passam a querer colonias e disputar mercados mundiais com as velhas potencias europeias.
-guerra do Paraguai
-guerra hispano-americana, consolidando a ascensão hianque como potência mundial
-bombardeio americano sobre o Japao, forçando os japoneses a abrirem seus portos e mercados para o Ocidente... isso forçou os nipônicos a acabarem com seu feudalismo, partindo para copiarem tudo do ocidente...rapidamente os japoneses tornaram-se uma potencia mundial. 



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Mapas



40 mapas que irão ajudá-lo a entender melhor o mundo


Se você é um aprendiz visual como a maioria dos internautas ávidos por informação, então sabe que mapas, gráficos e infográficos podem realmente ajudar a trazer dados e informações para a vida de uma forma bem bacana. Os mapas podem fazer uma ressonância pontual com os leitores e esta coleção de ilustrações pretende e permite fazer exatamente isso.

O caso é que os mapas podem ser uma ferramenta extremamente poderosa para a compreensão do mundo e como ele funciona. Por isso, quando vi um post do Reddit que varre a web intitulado "Mapas que não ensinam na escola", pensei imediatamente que devia compartilhá-lo no MDig. Alguns deles são muito nerd ou tratam diretamente de dados com referências somente aos EUA, mas ainda assim não são menos fascinantes e continuam facilmente compreensíveis.

Espero que alguns desses mapas causem surpresas e ajudem a aprender algo novo. Alguns são importantes para o conhecimento, outros pela forma bonita e criativa de interpretar e exibir dados. Confira e divirta-se!
 Acesse o link e veja todos os mapas mais


http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=29149

domingo, 20 de outubro de 2013

Geografia

Mar Morto - Globo Repórter

http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2012/12/mar-morto-praia-onde-nenhum-banhista-corre-risco-de-afundar.html

Chinelos

Havaianas bordadas em várias cores e modelos. 
Faço sob encomendas e possuo alguns prontos para vender. É só escolher o número e a cor que eu bordo pra você. Sou bastante rápida na entrega.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Mar Vermelho


Mar Vermelho


Localizado entre a África e a Península Arábica, o Mar Vermelho  fica em meio a um dos lugares considerados como o berço da humanidade e, segundo crêem os cristãos, foi o palco de um dos mais importantes episódios bíblicos. De fato, as águas do Mar Vermelho não são vermelhas. Mas porque então ele tem esse nome? Segundo algumas fontes, o Mar Vermelho apresentaria sim uma cor avermelhada em alguns períodos do ano devido à proliferação de um tipo específico de algas. Já, segundo outras fontes, a coloração ligeiramente avermelhada em algumas regiões da costa, se deve ao minério de ferro, presente em grandes quantidades nas montanhas ao redor do mar. Como a paisagem da região é desértica, com ventos constantes e vegetação esparsa e rasteira, a poeira avermelhada se deposita no mar, dando a ele sua tonalidade característica. Mas, conforme se avança para o alto mar, a cor vai voltando às tonalidades azuis.
Seja como for, o Mar Vermelho é considerado um mar “mediterrâneo”, pois possui um contato bastante restrito com as bacias oceânicas adjacentes (outros mares “mediterrâneos” são o Golfo Pérsico, o Mar Mediterrâneo, o Mar Negro, o Mar Báltico  e os Mares Australianos-Asiáticos – que banham a Indonésia).
Devido a essa característica, a circulação de suas massas de água se dá por gradientes de temperatura (termais) e salinidade (halinos), por isso ele também é considerado como sendo “termohalino” (Obs.: todos os mares mediterrâneos têm seus processos de circulação dominados por processos termohalinos).
No Mar Vermelho a taxa de recarga (precipitação e descarga de efluentes) é menor que a taxa de evaporação (por isso, sua bacia é classificada como “bacia de concentração”) o que torna suas águas mais densas e com maior teor de salinidade.
Principalmente nos países da Península Arábica, onde o clima desértico impõe condições extremas à população (existem apenas rios intermitentes e os lençóis freáticos, quando há, ficam a profundidades muito grandes) é realizado o processo de dessalinização das águas dos mares próximos, incluindo o Mar Vermelho.
É no Mar Vermelho também que encontramos o Canal de Suez. Um canal artificial que corta o istmo de Suez (porção estreita de terra que liga o continente africano á Península Arábica) construído para possibilitar a navegação direta do Mar Mediterrâneo para o Mar Vermelho.



Por que o Mar Vermelho tem esse nome?

A faixa de mar que separa a África da península Arábica foi batizada há tanto tempo, que tudo o que resta são hipóteses para todos os gostos. No século I, quando a expressão Mar Vermelho já era antiga, o historiador romano Plínio levantou a possibilidade de que o nome fosse uma homenagem ao rei Éritras, personagem da mitologia persa: na época, o mar também era chamado de Eritreu e o prefixo "eritro" significa vermelho em grego. "Outra explicação é que o sul da Palestina era conhecido como terra dos edomitas, os vermelhos", afirma o zoólogo Francis Dov Por, da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel. Uma terceira hipótese se baseia na geografia. No sul da península do Sinai existem montanhas ricas em ferro, minério de cor avermelhada. O vento desgasta o deserto rochoso e arrasta a poeira para o mar, tingindo-o de vermelho.
Como se não bastasse, ainda existe mais uma especulação: a de que esse mar conteria a alga Trichodesmium erythraeum. Ao morrer, ela ganha um tom avermelhado, mudando a cor da água. Mas Dov Por acha essa hipótese improvável: "O Mar Vermelho é pobre em nutrientes, o que dificulta a proliferação de algas."
O mar Vermelho (árabe:Bahr el-Ahmar, hebraico Yam Suf ou Hayam Haadóm) é um golfo do Oceano Índico entre a África e a Ásia. Ao sul, o mar Vermelho comunica com o oceano Índico pelo estreito de Bab el Mandeb e o golfo de Áden. A norte se encontram a península do Sinai, o golfo de Aqaba e o canal de Suez (que permite a comunicação com o Mar Mediterrâneo).
O mar Vermelho tem um comprimento de aproximadamente 1900 km, por uma largura máxima de 300 km e uma profundidade máxima de 2 500 metros na fossa central, com uma profundidade média de 500 m, sua água tem um percentual de salinidade de aproximadamente 4% (ou 40‰). O mar Vermelho é famoso pela exuberância de sua vida submarina, sejam as inúmeras variedades de peixes ou os magníficos corais. A superfície do mar Vermelho é de aproximadamente 450 000 km², com uma população de mais de 1000 espécies de invertebrados, de 200 espécies de corais e de ao menos 300 espécies de tubarões.
As temperaturas na superfície do mar Vermelho são relativamente constantes, entre 21 e 25 °C. A visibilidade se mantém relativamente boa até 200 metros de profundidade, mas os ventos podem surgir rapidamente e as correntes se revelarem traiçoeiras.
A configuração do mar Vermelho é devido à separação das placas tectónicas da África e da península arábica. O movimento começou há cerca de trinta milhões de anos e continua atualmente, o que explica a existência de uma atividade vulcânica nas partes mais profundas e nas margens. Admite-se que o mar Vermelho transformar-se-á em um oceano, como propõe o modelo de John Tuzo Wilson.
O mar Vermelho é um destino turístico privilegiado, principalmente para os amantes de mergulho submarino.
Os países banhados pelo mar Vermelho são Arábia Saudita, Djibuti, Egito, Eritreia, Iêmen, Israel, Jordânia e Sudão.
Algumas cidades costeiras do mar Vermelho: Assab, Port Soudan, Port Safaga, Hurghada, Suez, Sharm el Sheikh, Eilat, Aqaba, Dahad, Jeddah, Al Hudaydah.
Ao contrário do que possa parecer, o Mar Vermelho, braço do Oceano Índico entre a costa da África e a Península Arábica, não tem esse nome por causa de sua cor. De longe suas águas têm um aspecto azulado. Normalmente são também bastante límpidas, o que faz que a região seja utilizada para atividades de mergulho. A mais provável origem do nome são as bactérias trichodesmium erythraeum, presentes na superfície da água. Durante sua proliferação elas deixam o mar com manchas avermelhadas em alguns lugares. Outra possibilidade são as montanhas ricas em minerais na costa arábica, apelidadas de "montanhas de rubi" por antigos viajantes da região.

Canal de Suez

A importância do Canal de Suez
Livro Geografia crítica (José Willian Vesentini e Vânia Vlach)

O Canal de Suez é uma das vias marítimas mais importantes do mundo e um dos grandes focos da economia do Egito. É o eixo de união entre o Oriente e Ocidente (tem 163 km de extensão). Situado em terras do Egito, no istmo que une a África à Ásia.

Coube ao francês Ferdinand Lesseps a realização do projeto desse importante canal interoceânico que liga o Mar Vermelho ao Mar Mediterrâneo. A região faz parte da fossa africana em que se incluem as penínsulas do Sinai, circundadas pelos golfos de Suez e de Akaba, no Mar Vermelho.

A construção do Canal de Suez encurtou distâncias, sobretudo no sentido Europa - Extremo Oriente - Índia e vice-versa. Favoreceu o povoamento nas margens do Mar Vermelho e uniu a Europa agro-industrial aos grandes mercados de matérias-primas da Ásia, sobretudo o petróleo, dando vivacidade aos portos da Europa, Ásia e África, principalmente.

Em 25 de abril de 1859 o primeiro golpe de picareta foi dado por Lesseps, em Port Said, e em 27 de novembro de 1869 o canal foi inaugurado oficialmente pelo governador do Egito, Ismail Pacha.



O canal de Suez é o maior canal sem comportas e, desde o Mediterrâneo até ao Mar Vermelho, passa por três lagos. Ao norte o lago Manzala, depois o lago Timsah e ao sul os lagos Amargos.

Apesar de estar em solo egípcio e de ter sido construído por mão-de-obra egípcia, o canal de Suez pertenceu ao Reino Unido até 1956. Na verdade, esse canal foi construído com capital inglês e tecnologia francesa.

Durante mais ou menos um século, esse canal funcionou a todo o vapor, com grande circulação de navios. Dois fatores contribuíram para diminuir a sua importância:

- o grande porte dos navios modernos, tornando difícil sua passagem pelo canal;
- as guerras entre árabes (principalmente do Egito) e israelenses, que tornaram essa área insegura e extremamente militarizada.

Com uma largura de no máximo 120 m e uma profundidade de 11 m, o canal de Suez não permite que os gigantescos navios mercantes atuais - sobretudo os superpetroleiros, que carregam mais de 300 mil toneladas de carga (às vezes até 500 mil) - trafeguem por ele.

Além disso, a Guerra dos Seis Dias, em 1967, envolvendo Israel e Egito e alguns outros países árabes, tornou essa travessia perigosa. Isso porque, com a colocação de minas nessas águas pelos israelenses, qualquer navio que estivesse a serviço de algum país árabe, transportando petróleo, seria afundado como represália. Assim, a rota pelo oceano Índico, passando pela África do Sul, ou seja, pelo Cabo da Boa Esperança, voltou ser mais utilizada para trasnportar o petróleo do Oriente Médio, apesar de ser bem mais longa.

Nos últimos anos o Egito vem tentando reformar esse canal, tirando as minas que foram colocadas durante a guerra e ampliando seu leito.

A disputa pelo canal



Em 1888, a Convenção de Constantinopla definiu que o Canal de Suez deveria servir a embarcações de todos os países mesmo em tempos de guerra. Inglaterra e Egito assinaram, em 1936, um acordo que assegurava a presença militar do Reino Unido na região do canal por um período de 20 anos.

Com a retirada das tropas inglesas, em 1956, o presidente egípcio Gamal Nasser iniciou um conflito ao nacionalizar o canal e impedir a passagem de navios com a bandeira de Israel. Neste mesmo ano, com o auxílio do Reino Unido e da França, o exército israelense invadiu o Egito. Derrotado, mas contando com o apoio da ONU, dos EUA e da União Soviética, o Egito garantiu o controle sobre o canal. O preço do apoio foi a abertura do canal para a navegação internacional.

Em 1967, com a Guerra dos Seis Dias (conflito entre Israel e a frente árabe, formada por Egito, Jordânia e Síria), a passagem é novamente fechada. A partir de 1975 o Canal de Suez é reaberto para todas as nações do mundo

Os 10 locais mais extremos da Terra

Os 10 locais mais extremos da Terra

Por em 31.07.2009 as 0:48
A Terra é um lugar incrível: com toda a sua biodiversidade, diferentes climas e lugares no mínimo curiosos, ela tem espaço para algumas características incrivelmente extremas. Do lugar mais quente ao lugar mais frio, do lugar mais alto ao mais baixo, confira esta lista dos lugares mais extremos do planeta!
10. O lugar mais quente da Terra: Deserto de Lut (Irã)
local mais extremo da Terra
Existe muita controvérsia sobre qual é o lugar mais quente da Terra. Muitos acreditam que em Al Azizyah, na Líbia, foi marcada uma temperatura de 57,8 graus Celsius, e que o segundo lugar mais quente seria o Vale da Morte na Califórnia, Estados Unidos. Ali, a temperatura chegou a 56,7 graus em 1913.
Apesar desses registros, um satélite da Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, marcou temperaturas de até 71 graus no deserto de Lut, no Irã. Acredita-se que esta seja a temperatura mais alta já encontrada na superfície da Terra.
9. O ponto mais alto: Monte Chimborazo (Equador)
local mais extremo da Terra
É conhecimento comum que o Monte Everest é a montanha mais alta do mundo. Escaladores viajam de todo o planeta para ter a distinção de terem chegado ao topo do lugar mais alto. O pico do Monte fica a 8,848 metros acima do nível do mar.
Por outro lado, poucas pessoas conhecem o Monte Chimborazo, no Equador, com uma altitude de 6,310 metros acima do nível do mar. Apesar de mais baixo que o Everest, este monte tem a distinção de ser a montanha mais alta acima do centro da Terra.
Isso acontece porque o planeta não é uma esfera, e fica mais larga na Linha do Equador. Com isso, o monte localizado a apenas um grau abaixo da Linha fica aproximadamente dois quilômetros mais distante do centro da Terra, em comparação com o Everest.
Apesar da relativa fama do Monte entre os equatorianos, o Chimborazo não consegue competir com o seu “irmão” em questões de dificuldade de escalada nem em fama.
8. O arquipélago mais remoto habitado por humanos: Tristan de Cunha (Reino Unido)
local mais extremo da Terra
O grupo de ilhas habitadas mais remota no mundo é Tristan de Cunha, no sul do Oceano Atlântico. O arquipélago é tão pequeno que a sua ilha principal não tem nem pista de pouso. Lar de 272 pessoas, que compartilham todas oito sobrenomes, seus habitantes sofrem de doenças hereditárias como asma e glaucoma.
Anexada ao Reino Unido no século XIX, os habitantes do arquipélago têm um código postal britânico, e podem até pedir coisas pela Internet – mesmo que elas demorem muito para chegar. Mas afinal, é um custo a se pagar pelo privilégio de morar em sua própria ilha, a mais de três mil quilômetros do continente mais próximo.
7. A maior cachoeira do mundo: Santo Ángel (Venezuela)
local mais extremo da Terra
A cachoeira de Santo Ángel, na Venezuela, começa a 984 metros de altura, e tem uma queda ininterrupta de 806 metros. Ela fica em uma afluente do Rio Caroni.
6. O lugar habitado mais frio: Oymyakon (Rússia)
local mais extremo da Terra
Oymyakon é uma pequena vila em Oymyakonsky Ulus, na República Sakha, na Rússia, e fica próxima ao rio Indigirka. A população do local chega a 800 pessoas, que agüentam um frio de até 72 graus negativos, registrados no dia 26 de janeiro de 1926.
Esta é a temperatura mais baixa registrada em qualquer lugar com habitação permanente por humanos na Terra. Também foi a temperatura mais baixa a já ser vista no hemisfério norte do planeta. A temperatura mais baixa já marcada no planeta foi de 129 graus negativos em 1983, na base de operações russa na Antártica.
5. O lugar mais seco da Terra: Os Vales da Morte (Antartica)
local mais extremo da Terra
Uma região do interior da Antártica é conhecida como os Vales da Morte. Este lugar não vê chuva há mais de dois bilhões de anos. Com a exceção de um vale, que tem lagos um pouco cheios com água de rios próximos, os Vales não têm nenhum tipo de umidade – seja em forma de água, gelo ou neve.
O motivo de tanta seca são os ventos de até 320 quilômetros por hora que atingem o lugar, evaporando toda a água existente lá. O local também é o único da Antartica que não tem gelo – lá, a evaporação é mais importante que a neve, deixando a área completamente seca e sem gelo.
Outro local seco é o deserto de Atacama, no Chile, onde não chove há vários séculos. É possível que lá a seca seja até maior que na Antartica, mas não se pode ter certeza disso, devido a pesquisas insuficientes sobre a área.
4. O ponto mais profundo do planeta: Fossa das Mariana (Indonésia e Japão)
local mais extremo da Terra
A trincheira de mariana chega a 10,924 metros abaixo do nível do mar. Se o Monte Everest fosse colocado na depressão, ficaria coberto por mais de um quilômetro de água. As únicas pessoas que já observaram o local foram os exploradores Jacques Piccard e Don Walsh.
Naquela “altura” da terra, os pesquisadores enfrentaram oito toneladas de pressão. Mesmo assim, eles observaram a existência de peixes, camarões e outras criaturas que habitam o inóspito local.
3. O lugar mais úmido: Lloro (Colômbia)
local mais extremo da Terra
Lloro, na Colômbia, recebe uma média de 12,000 metros cúbicos de chuva por ano. As pessoas que habitam o local ganham a vida cortando árvores da floresta nas proximidades, onde é possível ter certeza com a chuva diária.
Ainda assim há uma discussão sobre se o local é mesmo o “vencedor” da categoria. Cherrapunji, no nordeste da Índia, foi considerada por muitos anos o local mais úmido da Terra – tendo o recorde mundial por este motivo. Em Cherrapunji choveu 9,296mm de água em julho de 1861. Entre agosto de 1860 e julho de 1861, o local teve um registro de 26,467mm e chuvas.
2. A maior queda do mundo: Monte Thor (Canadá)
local mais extremo da Terra
O Monte Thor, no Parque Nacional Auyuittuq, na Ilha de Baffin, no Canadá, tem uma queda vertical de 1249 metros. O lugar é conhecido por sua enorme queda, que é feita de puro granito. É um lugar popular entre escaladores que procuram por fortes emoções.
O Monte foi escalado pela primeira vez em 1953, e recebe algumas expedições de aventureiros hoje em dia, sendo que em 2006 um escalador ousado morreu no local.
1. O lugar mais abaixo do nível do mar: Mar Morto (Jordânia)
local mais extremo da Terra
O Mar Morto é o local mais baixo da Terra: ele fica a 422 metros abaixo do nível do mar. Na fronteira entre a Jordânia e Israel, a estrada que fica próxima ao Mar também é a estrada mais baixa do planeta.
Famosa pela sua salinidade – dez vezes maior que o mar Mediterâneo – o Mar Morto não tem nenhum tipo de vida marítima, por isso tem este nome.

Ilha da Páscoa

Os estranhos moais: as estátuas da Ilha de Páscoa são um mistério



Descobertas em 1722, as estátuas ainda são um mistério para os pesquisadores!



Texto: Ludmilla Balduino


shutterstock_moais-ilha-páscoa-chile-rapa-nui


A Ilha de Páscoa seria só mais um pedacinho de terra no meio do Oceano Pacífico se não fossem os moais – estátuas de pedra em forma de humanos colocadas ali há mais de mil anos.


São cerca de 800 estátuas espalhadas pela ilha e que foram feitas pelos rapanuis, antigos habitantes que viviam no lugar entre os anos 1000 e 1700.


Ninguém sabe como eles conseguiam mover enormes blocos de pedra na época ou qual seria a função desses gigantes. Alguns pesquisadores acreditam que as estátuas eram presas a troncos e cordas e levadas por vários homens, até chegar ao local escolhido.


Eles supõem que essas figuras homenageavam antepassados dos rapanuis ou eram símbolos de deuses que protegeriam a ilha de tempestades e de outras catástrofes naturais.


LÁ NAS ALTURAS!


Alguns moais ficam sobre plataformas de pedras empilhadas. Ninguém entende como os rapanuis levantavam as estátuas e as colocavam ali.


OLHOS COLORIDOS


Depois que a estátua era erguida, olhos eram preenchidos com corais e pedras. Os enfeites se decompuseram, mas alguns moais foram restaurados.


CARAS DE VULCÃO


A maioria das estátuas da ilha são feitas a partir de rochas retiradas do vulcão Rano Raraku, que fica na parte leste da ilha e foram transportadas para vários locais. Os rapanuis contavam com poucas ferramentas e usavam pedras lascadas para esculpir os detalhes nessas rochas. Os maiores moais têm 10 metros de altura e pesam 10 toneladas.


CHAPÉUS DE PEDRA


As pedras vermelhas são uma referência a chapéus, que provavelmente eram usados por pessoas importantes e se chamavam pukao.


NO MEIO DO NADA


A ilha é minúscula e foi descoberta pelos europeus em um domingo de Páscoa no ano de 1722. Ela é chamada também de Rapa Nui e de Te Pito o Te Henua - que na língua dos nativos significa umbigo do mundo. É possível visitá-la, mas para isso é preciso ir até Santiago, capital do Chile, e pegar um avião (5 horas de viagem!) ou um barco.


A HISTÓRIA DOS RAPANUIS


Os ancestrais dos rapanuis vieram de barco da Polinésia (na Ásia) e chegaram à Ilha de Páscoa por volta do ano 100. Ao encontrar uma terra fértil, repleta de animais silvestres, formaram povoados e passaram a morar em cavernas ou casas de pedra. Com o tempo, parte dos recursos naturais se esgotou e aos poucos os nativos foram partindo.


A destruição foi tão grande que na época em que o holandês Jacob Roggeveen encontrou a ilha, quase não havia mais pessoas vivendo por ali. Mas, até hoje, a ilha tem moradores, que são descendentes dos rapanuis e procuram manter sua cultura. Para isso, preservam seu idioma e, em festas especiais, usam roupas e pinturas especiais, como os antepassados.


Rongorongo - os rapanuis tinham uma escrita complexa, chamada rongorongo, que ninguém decifrou, e falavam um idioma próprio. Enriqueça seu vocabulário:


  • Oi e tchau - iorana!
  • Tudo bem? - pehé koe?
  • Muito bem! - riva riva!
  • Obrigado - maururu.
  • De nada! - ote aha no!


Você sabia que:


Alguns moais já foram retirados da ilha de Páscoa e levados para museus para serem estudados? Há um exemplar no Museu Britânico (Londres, Inglaterra), outro no Museu du Quai de Branly (Paris, França) e um na cidade de Valparaíso, no litoral do Chile.


Consultoria: Marisa Afonso (professora do Museu de Arqueologia e Etnologia/USP)

Fonte: Internet
 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Austrália e Nova Zelândia

A Austrália é um jovem país, mas já ocupa um lugar de destaque econômico e social no cenário mundial. O território deste país ocupa uma área de 7.713.364 km2, pouco menor que o brasileiro. Atualmente, vivem na Austrália cerca de 21,2 milhões de habitantes, número bastante restrito em decorrência do extenso território do país, resultando em uma densidade demográfica de aproximadamente 2,7 habitantes por quilômetro quadrado. A população australiana possui uma boa qualidade de vida, demonstrada pelos indicadores sociais, que indicam um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,937, o segundo mais elevado do mundo, conforme dados divulgados em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU). Além de apresentar uma expectativa de vida de mais de 81 anos. A mortalidade infantil também reflete a boa qualidade de vida no país, pois nesse quesito, o índice atual é de cerca de 4,57 mortes a cada mil nascimentos. E por último, o índice de alfabetização, que é muito elevado, mais de 99%. Pode-se observar, pelo que foi exposto acima, que todos os indicadores sociais do país apresentam índices superiores às médias mundiais.

Dos mais de 21,2 milhões de habitantes australianos, cerca de 95% tem origem europeia, com predominância britânica, porém, existem ainda as minorias nacionais, como as de origem aborígine. A maior parte da população do país concentra-se no sudeste do território, regiões nas quais estão estabelecidos os principais parques industriais. Por ter um bom índice de industrialização, a população urbana é bastante superior à população rural, mais de 85% dos habitantes vivem em cidades. Os centros urbanos de maior concentração de pessoas são Melbourne (cerca de 3,7 milhões de habitantes), Brisbane (cerca de 980 mil), Perth (1,5 milhão) e Adelaide ( 1,1 milhão). Na Austrália, o crescimento vegetativo é muito reduzido e vem caindo anualmente.

Por Eduardo de Freitas
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola

A Nova Zelândia é um país formado por duas grandes ilhas: Ilha do Norte e Ilha do Sul, que são separadas pelo estreito de Cook. Esses dois territórios estão localizados no sul da Oceania, sendo considerados como parte da Polinésia.
A maioria da população está concentrada na Ilha do Norte, pois essa porção do território apresenta características físicas mais propícias para a habitação. Cortada por uma cadeia montanhosa, os Alpes do Sul, a Ilha do Sul é chamada pela população nativa de Aotearoa (terra da longa nuvem branca).
A Nova Zelândia apresenta elevado grau de industrialização. O país possui grandes rebanhos de ovinos, bovinos e suínos, proporcionando a produção de lã, carne e laticínios. Outro destaque para a economia nacional são as reservas de petróleo, carvão e gás natural.
As belezas naturais da Nova Zelândia atraem milhões de turistas, fato que tornou o turismo uma atividade de fundamental importância para obtenção de receitas financeiras para o país.
Políticas de bem-estar social são desenvolvidas na Nova Zelândia, proporcionando elevados indicadores sociais. A expectativa de vida da população nacional é uma das mais elevadas do planeta: 80 anos. O país apresenta baixos índices de analfabetismo e a mortalidade infantil é de apenas 4 óbitos a cada mil nascidos vivos.

Brasão de Armas da Nova Zelândia
Dados da Nova Zelândia:
Extensão territorial: 270.986 km².
Localização: Oceania.
Capital: Wellington.
Clima: Temperado oceânico.
Governo: Monarquia parlamentarista.
Divisão administrativa: Duas ilhas (do Norte e do Sul)
Idioma: Inglês e Maori (oficiais).
Religião: Cristianismo 74,8% (protestantes 20,2%, anglicanos 16,3%, sem filiação 18%, católicos 11,2%, outros 9,1%), sem religião 20,3%, outras 3,5%, ateísmo 1,4%.
População: 4.266.498 habitantes. (Homens: 2.107.347; Mulheres: 2.159.151).
Composição: Europeus 86% (principais: britânicos), maoris 10%, samoanos e polinésios 4%.
Densidade demográfica: 15,7 hab/km².
Taxa média anual de crescimento populacional: 0,9%.
População residente em área urbana: 86,65%.
População residente em área rural: 13,35%.
População subnutrida: menor que 5%.
Esperança de vida ao nascer: 80 anos.
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,907 (muito alto) - 3° lugar no ranking mundial.
Moeda: Dólar neozelandês.
Produto Interno Bruto (PIB): 130 bilhões de dólares.
PIB per capita: 31.219 dólares.
Relações exteriores: Apec, Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OCDE, OMC, ONU.

Por Wagner de Cerqueira e Francisco
Graduado em Geografia
Equipe Brasil Escola


Nova Zelândia

A Nova Zelândia é uma nação independente, constituída por um sistema de democracia parlamentarista. O país é membro da Commonwealth, cujo chefe de estado oficial é a rainha Elizabete II, a qual é representada pelo Governador Geral. O voto não é obrigatório, porém, 80% dos neozelandeses votam nas eleições. O Parlamento é eleito a cada três anos, composto de 120 deputados. Cada eleitor tem o direito a dois votos, um para o partido de sua escolha, e outro para o seu candidato. Há alguns anos, a Nova Zelândia é reconhecida como um dos países onde a corrupção pública e privada tem um baixíssimo índice de ocorrência.
A capital da Nova Zelândia é Wellington, seu clima é temperado oceânico, sua área florestal é de 76 mil Km² (1999), suas principais cidades são: Auckland, Christchurch, Wellington e Manukau (2001). Sua população é de 86% europeus bretões, maoris 10%, samoanos e ilhéus do Pacifico 4%(2001). Seu idioma oficial é o inglês (2001). Religião: cristianismo 56,3%, anglicanos 21,4%, presbiterianos 16%, católicos 14,8%, metodistas 4,1%, sem filiação 19,7%, outras 24%(2003). Densidade: 14,05 hab./km²(1999). População urbana: 86%(1999). Fecundidade: 2,01 filhos por mulher(2000). Mortalidade infantil: 4‰ (2000). Analfabetismo: menor que 3% (2000). Moeda: dólar da Nova Zelândia.
A Nova Zelândia com uma superfície de 277.000 Km², tem um território semelhante ao tamanho da Itália, Grã - Bretanha ou Japão. Está localizada ao sudoeste do Oceano Pacífico, entre as linhas do Equador e Polo Sul. Os países vizinhos são Austrália, Nova Caledônia, Ilhas Fidji e Tonga.
A Nova Zelândia é constituído por duas ilhas principais: a do Norte e a do Sul, separadas pelo Estreito de Cook. O extremo norte e sul estão a 1.660 quilômetros de distância e nenhum ponto do país está a mais de 180 km da costa.Esta proximidade do mar define muito o seu povo, sua cultura, seu modo de vida e até sua excelente culinária.
Assim como na Austrália, são os excelentes indicadores sociais – alta expectativa de vida, insignificante analfabetismo, baixa mortalidade infantil, garantia de uma boa aposentadoria, acesso aos benefícios sociais – que garante a classificação da Nova Zelândia como nação desenvolvida. Sua população é de aproximadamente 4 milhões de habitantes. 
Economia
Sua indústria é pequena, pouco diversificada, abrange um restrito mercado consumidor, e está diretamente ligada a matérias-primas agropecuárias.
Mais de 70% de seus 12,5 bilhões de dólares de exportações, em 1998, eram provenientes de laticínios, do leite, da lã, da madeira, de carnes e peles. Seus principais parceiros comerciais são os Estados Unidos, a Austrália, o Japão e os países da União Européia.
Principais industrias da Nova Zelândia:
  • Química;
  • Mecânica;
  • Alimentícia;
  • Metalúrgica;
  • Têxtil;
  • Extração de Carvão e
  • Gás Natural.
Apesar da situação econômica privilegiada, a Nova Zelândia apresenta dois problemas sociais. P principal deles é a saída de jovens que buscam melhores empregos  e oportunidades em paises como os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália.
Também é preocupante a situação da nação nativa, os maoris. Recentemente, o governo amenizou o problema, devolvendo aos antigos habitantes parte do território que ocupavam antes da chegada dos Europeus.
A terra constitui a espinha dorsal da economia de exportação. Leite e derivados, carne e lã contribuem com cerca de 40% na renda de exportação. Os padrões de qualidade e a atenção especial ao meio ambiente promove a sua imagem internacionalmente , reconhecida como “limpa e verde”.
A competitividade da Nova Zelândia, em termos de produtos industriais, é recente. Entretanto já 25% das exportações constituem-se em produtos manufaturados de alta tecnologia.
Agricultura
A Nova Zelândia é um país acidentado, com pequenas áreas próprias para o cultivo arável e sua atual  reputação como a maior fazenda do mundo foi adquirida com muito trabalho de seu povo e uma tecnologia moderna.
A Nova Zelândia é a líder mundial em pesquisa agrícola e serviços de consultoria.
Cerca de 173 milhões de hectares são constituídos por lavouras, num total 80.000 fazendas. Incluindo trabalhadores avulsos e membros da família, na média, as fazendas são, operadas apenas por duas pessoas. Gado, carneiros, veados, porcos, aves e abelhas, alem de plantações de frutas e horticultura constituem a base da sólida economia neozelandesa.
As plantações de parreiras são, atualmente, uma excelente fonte de renda, com o vinho neozelandês sendo reconhecido mundialmente pela qualidade  
Silvicultura e a Pesca
As florestas cobrem mais de um quarto da NZ. Cerca de 1,3 milhões são áreas de reflorestamento para a produção, incluindo a maior plantação de floresta do mundo.

A mais importante espécie para a plantação no Hemisfério Sul é a "Pinus radiata", cerca de 90% das florestas de produção. Seu uso na indústria de transformação é versátil, sendo usada na mobília, marcenaria, construção de embalagens, postes, polpas, etc.

É muita avançada a tecnologia para a reprodução e crescimento das florestas.

A NZ tem uma das maiores áreas de pesca no mundo, a Zona Econômica Exclusiva da NZ. São 200 milhas náuticas, com cerca de 100 espécies de peixes com valor comercial. O gerenciamento obedece normas rigorosas de tamanho, produtividade de cada espécie, cotas e métodos de pesca. Somente empresas nacionais podem possuir e controlar cotas de pescarias. A cultura aquática é desenvolvida na criação de mexilhões e ostras. Trutas e “Paua” são criadas para a pesca esportiva. A Nova Zelândia exporta cerca de 1 bilhão anualmente.

A indústria
A indústria iniciou seu crescimento quando houve alteração na política governamental quanto ao auxilio à indústria neozelandesa. As empresas nacionais recebem o apoio do “Busines Development Boards”.  Hoje, bebidas e comidas lideram o mercado, empregando mais de 25% da mão-de-obra. Produtos industrializados, máquinas e equipamentos, empregam outros 25% e indústrias textil, vestuário, indústria de papel, gráficas, produtos de madeira, química, petróleo, carvão e borracha os outros 50% dos trabalhadores na indústria.

Energia e Minerais

Energia limpa, barata e renovável são a base dos recursos energético na Nova Zelândia. Suas fontes: rios, gás natural, vapor energético. Minérios como o ouro, a areia ferruginosa, a argila, a areia e agregados são os principais minérios explorados.
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
PESQUISA E DESENVOLVIMENTO
A Nova Zelândia gasta com pesquisa e desenvolvimento mais de NZ$ 600 milhões por ano, 35% dos quais provenientes de setores privados , incluindo cooperativas de produtos associados de produtores e associações de pesquisas.
O NEOZELANDÊS
O idioma mais falado é o inglês. O Maori também é língua oficial de crescente importância cultural, tanto que faz parte do currículo básico do ensino no país.
As tradiçes maori são cultivadas e influenciam notavelmente o kiwi, como gostam de ser chamados os neozelandeses. Kia Hora, o nosso Oí, é a saudação habitual entre o povo neozelandês. A densidade populacional é relativamente baixa: 13,2 pessoas por quilômetro quadrado.
Aproximadamente 80% da população são descendentes de europeus, oriundos principalmente da Escócia, Grã- Bretanha, Alemanha, Itália, dos Países Baixos e da ex-Iugoslávia.
O segundo continente é formado pelos amoris, pelo menos 12,8% e o restante são pessoas das Ilhas do Pacífico, mormente da Samoa Ocidental, Ilhas Cook, Niue, Tokelau, Tonga e Fiji. Grupos significativos de chineses e indianos vivem por gerações nas cidades.

A Nova Zelândia é famosas por suas leis sociais e pelo respeito aos direitos humanos.
Foi o primeiro país de governo autônomo a dar às mulheres o direito ao voto (1893); e aos idosos, o direito às pensões. Além de ter a primeira cidade do mundo - Nelson - a fixar, em oito horas, o horário de trabalho de seus habitantes.

O padrão de vida, analisado em termos de educação e emprego, igualdade e oportunidade de saúde, segurança pessoal, moradia, meio ambiente, opções lazer e medidas para o bem-estar social, o neozelandês vive num país de primeiríssimo mundo, comparável ao Canadá, Suécia, Japão, Austrália e Estados Unidos.
Apesar de ser, relativamente, um país novo, a Nova Zelândia tem recordes de pioneirismo: a primeira mulher a cruzar sozinha o Atlântico voando, o primeiro homem a dividir o átomo. O neozelandês é famoso pela hospitalidade. Antes de tudo é um povo maravilhosamente cortez, educado, jovial e descontraído. Suas cidades são cosmopolitas sem serem agressivas, civilizadas sem serem tensas. Há uma mistura feliz de moderno e histórico nas ruas e construções. A arquitetura reflete seu povo: arrojada, luminosa, leve e charmosa.
A natureza é sempre grandiosa, e nisto lembra muito o nosso país (Brasil).
Em qualquer canto do país você encontra a mesma hospitalidade e até o albergue mais simples você encontrará  boa comida, cama limpa e um sorriso simpático a sua espera.
Voar, saltar, navegar, mergulhar, pular, surfar, andar, cavalgar, remar, nadar, flutuar, jogar, enfim, é a terra dos esportes e o paraíso dos esportes radicais. Eles são esportistas pela e por natureza.

BANCO DE DADOS
Algumas das atividades de lazer mais populares na Nova Zelândia:
Leitura - 48%
Visitas a amigos - 35%
Jardinagem - 28%
Esportes organizados - 15%
Esportes Informais - 11%
Excursões a pé - 22%
Corridas/jogging - 6% 

Curiosidades
Para um país de apenas aproximadamente 4 milhões de habitantes, o neozelandês, sem dúvida, é um povo especial. Vejam só:
Auckland tem o maior número de barcos per capita do mundo;
Curio Bay, em Southland, é uma das mais extensas florestas petrificadas do mundo. A floresta tem, aproximadamente, 180 milhões de anos;
As mulheres conquistaram o direito de voto, desde 1893;
Ernest Rutherford foi o primeiro cientista à dividir o átomo;
Existem mais cursos de golfe per capita que qualquer outro país do mundo. E o golfe é um esporte acessível;
Wellington tem mais cafés e restaurantes, per capita, que New York;
Frying Pan Lake é a maior fonte de água quente do mundo, alcançando uma temperatura de 200 ºC, no ponto mais profundo;
Na Nova Zelândia existe o único papagaio que não voa: o Kakapo; e a única espécie de papagaio alpino, o Kea;
O mais antigo ser vivo, descendente dos répteis, é o Tuatara, que tem uma expectativa de vida de 300 anos;
Na bandeira da Nova Zelândia há as quatros estrelas principais da Constelação do Cruzeiros do Sul, como a bandeira do Brasil;
O kiwi - um pequeno pássaro não voador e uma samambaia são usados como símbolos do país;
O slogan turístico escolhido é 100% esporte.
Considerações Finais
Com o término desse trabalho, pudemos ver que a Nova Zelândia é um país “modelo”, pois tem uma pequena taxa de mortalidade infantil, de analfabetismo, ainda tem uma grande área florestal, é um país democrático, com ótimas indústria e com agricultura desenvolvida, entre muitas outras qualidades.